Professor conteudista e os gatilhos educacionais

Ao produzir materiais didáticos para a educação a distância, o professor conteudista precisa ser estratégico. É necessário não apenas escrever textos, mas também utilizar recursos que façam com que os alunos memorizem o conteúdo e, de fato, aprendam o que está sendo ensinado.

Uma boa maneira de conseguir bons resultados ao elaborar os materiais didáticos é o uso de gatilhos educacionais. É sobre esse assunto que falaremos neste artigo, acompanhe!

Entenda o que são gatilhos educacionais

Os atalhos para o processamento de pensamentos em nosso cérebro são chamados, pela psicologia, de gatilhos mentais. Eles podem ser utilizados nas mais diversas áreas, para estimular as pessoas a tomarem decisões. Na publicidade, por exemplo, esse recurso é usado para fazer com que os indivíduos comprem por impulso.

Quando utilizados pelo professor conteudista, na elaboração de materiais didáticos, esses recursos recebem o nome de gatilhos educacionais. Eles têm o objetivo de otimizar o aprendizado dos alunos, garantindo que eles absorvam melhor os materiais e possam ter mais sucesso ao executar as atividades na prática ou garantir mais acertos em provas e concursos.

Conheça os principais gatilhos que podem ser usados pelo professor conteudista

Para que você, professor conteudista, possa utilizar os melhores gatilhos educacionais nos materiais didáticos que produz, listamos os principais deles. Veja!

Gatilho da escassez

Esse gatilho tem o objetivo de fazer com que o aluno veja cada oportunidade como única no aprendizado. Ele deve ser instigado a ver o momento atual como o certo para aprender determinado conteúdo.

Usar chamadas de texto ou recursos visuais com frases como “Aprenda agora mesmo”, por exemplo, é uma forma de chamar a atenção do aluno para estudar naquele momento.

Leia também: Sistema de ensino x isolamento social

PROFESSOR CONTEUDISTA: Gatilho da autoridade

O gatilho da autoridade está relacionado à confiabilidade dos estudos. Ou seja, o aluno precisa acreditar naquilo que está lendo, para fixar mais o aprendizado e enxergar o todo com mais clareza.

Para praticar esse gatilho, o professor conteudista deve sempre trazer citações de autores renomados nos materiais didáticos. Também é importante destacar a relevância dos referenciais teóricos, para que o estudante compreenda que o material que está consumindo tem fundamentos sólidos.

Gatilho da visualização

A ideia do gatilho da visualização é fazer com que o estudante consiga perceber, visualmente, como determinado conceito é aplicado. Para isso, o professor pode explorar recursos que vão além do texto.

Figuras, infográficos, tabelas, vídeos e jogos simples, podem ser incorporados aos materiais produzidos. De tal maneira, o aluno terá uma percepção mais clara acerca daquilo que está sendo aprendido.

PROFESSOR CONTEUDISTA: Gatilho da afinidade

É natural que os alunos gostem mais de estudar uma matéria do que outra. Afinal, cada pessoa tem seus gostos pessoais e habilidades para determinadas áreas.

No entanto, estudar algo que não gostamos é realmente pouco produtivo. O gatilho da afinidade trata justamente de abordar os conteúdos de forma leve e que possam ser visualizados pelos estudantes como algo a ser aplicado no dia a dia.

Ao elaborar um material didático sobre conceitos da Física, por exemplo, o professor conteudista não precisa apenas se ater à parte teórica, com muitas fórmulas e conceitos. Vale a pena mesclar isso com explicações práticas do dia a dia, como experimentos, que permitam que o aluno tenha afinidade com o conteúdo, vendo como ele se aplica à sua rotina pessoal.

Gostou deste artigo? Que tal continuar se desenvolvendo como professor conteudista e ler agora o nosso artigo que fala sobre os desafios do ensino a distância?



Share This